JOSÉ RODRIGUES
MARES DE VERSOS
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR PROPRIOCEPTIVA (FNP)


CURSO DE FISIOTERAPIA
DISCIPLINA: NEUROFUNCIONAL
PROFESSORA: ANA LARISSA









RESENHA CRITÍCA















Maceió – 2019

FNP: FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR PROPIOCEPTIVA PARA A FACE

www.faema.edu.br › index.php › Revista-FAEMA › article › download

LIMA, F. dos S.; FAGUNDES. D. S. e LIMA, R. R. O. FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR PROPRIOCEPTIVA NA REABILITAÇÂO DA PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA: UM ESTUDO DE CASO. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente 7(1 ): 27 - 40 , jan. - jun., 2016.

Resenhado por José de Oliveira Rodrigues (da Faculdade Estácio de Alagoas.)

Neste artigo a revista fala sobre a técnica de Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) através de um estudo inovador e contemporâneo na paralisia facial periférica (PFP).
INTRODUÇÃO
A FNP é uma técnica que utiliza princípios básicos de estimulação que promovem uma reaprendizagem sensitivo-motora através da estimulação dos receptores do sistema nervoso. A técnica utiliza exercícios de contato manual em diagonais que guiam, facilitam e aceleram a resposta motora, através de contrações dos músculos mais fortes ou mais móveis que facilitam, reforçam e promovem atividade dos músculos mais fracos, através da sincronia da estimulação, denominado como princípio de irradiação.
A paralisia facial é uma lesão nervosa do VII par de nervos cranianos, denominado nervo facial. É um nervo misto contendo uma porção sensitiva (nervo intermediário de Wrisberg), e uma motora (nervo facial propriamente dito). Os pacientes com PFP apresentam também uma hiperacusia. É importante conhecer a etiologia e os fatores que poderiam influenciar a evolução da doença como o gênero, idade, tempo de evolução da PFP, seguimento lesionado, recidivas, sequelas e intervenções. O grau de disfunção pode ser avaliado segundo a escala de House – Brackmann, que varia de I - função normal da face até VI - paralisia total, sem qualquer traço de movimento.

METODOLOGIA
Os autores fazem um estudo de caso, tendo como objetivo melhorar a funcionalidade da musculatura da face que é inervada pelo nervo facial oportunizando os movimentos dos músculos da mímica facial. Através de uma avaliação fisioterapêutica cinético – funcional; aplicação da técnica de facilitação neuromuscular proprioceptiva, uma reavaliação fisioterapêutica cinética - funcional após as intervenções fisioterapêuticas e comparação dos resultados encontrados com os dados coletados inicialmente na avaliação fisioterapêutica cinético – funcional e achados bibliográficos. Os critérios de inclusão da paciente estabelecidos para a pesquisa foram: (I) Diagnóstico clínico de paralisia facial; (II) Aceitar participar da pesquisa mediante a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e como critérios de exclusão: (I) não apresentar diagnóstico clínico de doenças neurodegenerativas. A partir de técnicas fisioterapêuticas funcionais de FNP seguiu os seguintes passos do processo: I) Avaliação fisioterapêutica cinético-funcional; (II) Planejamento das ações de intervenção apoiados no método de FNP em relação aos achados da avaliação; (III) Execução das técnicas de FNP utilizando diagonais, a saber:
• Facilitação do músculo Prócero aplicando resistência próxima ao nariz em diagonal para baixo e para fora, facilitação no músculo Levantador da pálpebra superior aplicando resistência a elevação da pálpebra superior, facilitação no músculo Orbicular do olho aplicando uma leve resistência em diagonal nas pálpebras inferiores e superiores, facilitação no músculo Corrugador do supercílio aplicando resistência acima da sobrancelha em diagonal no sentido cranial e lateral, facilitação no músculo Frontal aplicando resistência na testa em diagonal nas direções inferior e medial;
• Facilitação no músculo Orbicular da boca aplicando resistência lateral e superiormente no lábio superior e lateral e inferiormente no lábio inferior, facilitação no músculo infra e supra – hioideos aplicando resistência em baixo do queixo em diagonal e com direcionamento reto, facilitação no músculo Risório e Zigomático Maior aplicando resistência nos cantos da boca de forma leve e medial para baixo. Realizadas uma vez ao dia no período matutino, em vinte sessões de quarenta e cinco minutos de intervenção fisioterapêutica;
• Facilitação no músculo Masseter e Temporal aplicando resistência na mandíbula em diagonal para baixo, para a direita e esquerda, facilitação no músculo Bucinador aplicando resistência na superfície interna das bochechas em diagonal para cima, para baixo e em direção linear para fora, facilitação no músculo Depressor do ângulo da boca aplicando resistência em diagonal nos cantos da boca superior e medialmente, facilitação no músculo Levantador do ângulo da boca empurrando em diagonal os cantos da boca para baixo e para dentro, facilitação do músculo Mentual aplicando resistência em diagonal no queixo para baixo e lateralmente, facilitação no músculo Levantador do lábio superior aplicando resistência no lábio superior para baixo e medialmente, facilitação no músculo Depressor do lábio inferior aplicando resistência superior e medialmente no lábio inferior.
(IV) Reavaliação fisioterapêutica cinético-funcional; (V) Analise e tratamento dos resultados.


RESULTADOS E DISCUSSÃO
Na avaliação da funcionalidade anteriormente a intervenção fisioterapêutica observou - se que: na realização do teste de lacrimejamento de Schirmer apresentou alteração em relação ao lado direito de cerca de 35%, o Reflexo Estapediano positivo: apresentou rigidez, não apresentou alteração no teste Gustativo do paladar de acordo com a escala de House- Brackmann apresentou grau IV disfunção moderadamente severa.

Na avaliação da funcionalidade avaliação posteriormente a intervenção fisioterapêutica: houve uma considerável diminuição no lacrimejamento durante a mastigação comprovado através da reavaliação utilizando o teste de lacrimejamento de Schirmer que totalizou 20% . O Reflexo Estapediano se manteve positivo. O teste Gustativo não foi refeito devido não ter apresentado alteração, observou-se regressão no grau de comprometimento da lesão de acordo com a escala House Brackmann de lesão em grau IV disfunção moderadamente severa para grau III - Disfunção moderada.
Os resultados obtidos foram observados a partir da décima sessão de intervenção fisioterapêutica, e sendo otimizada a cada sessão subsequente. No comparativo entre Avaliação Funcional Anterior e Posterior a Intervenção Fisioterapêutica observou-se que a paciente anteriormente as intervenções mantinha sempre uma postura de flexão com inclinação e rotação lateral da cabeça, e posteriormente observa-se uma melhora no alinhamento postural da cabeça. Os exercícios de FNP através do contato manual que guia e facilita os movimentos através de uma pressão correta e o estímulo de estiramento promovem a contração muscular por reflexo de estiramento e realizado repetidas vezes tonificam a musculatura.
Os exercícios de FNP realizados com um bom comando verbal e estimulo visual de maneira intensa, como, com a técnica sendo realizada na frente de um espelho, permite que o paciente visualize o movimento solicitado, esse estímulo visual aumenta a força de contração da musculatura e quanto maior o for o comando verbal maior será à força de contração, reforçando a hipótese de que a técnica de FNP acelera o aprendizado e a resposta motora, levando em consideração também o tempo de ocorrência da lesão e a procura pelo atendimento fisioterapêutico.







CONCLUSÃO
Conclui-se que a técnica de FNP é muito eficaz. Seguindo os seus conceitos, permitiram uma avaliação e reavaliação das disfunções para o tratamento e permitiu que se fizesse o acompanhamento da evolução do paciente. Através das técnicas houve bons resultados como modulação de tônus e força muscular na musculatura da face comprometida. Estas melhoras trazem benefícios ao paciente como o retorno das atividades funcionais (alimentação, comunicação) reestabelecendo as atividades de vida diária e qualidade de vida.
Observou-se o retorno das funções como encerramento completo da rima palpebral melhorando o fechamento ocular, tornou possível o ato de assoviar e proporcionou maior controle na mastigação e deglutição, maior controle durante a ingestão de líquidos.
Contudo, sugere - se mais pesquisas sobre a utilização da técnica de FNP na reabilitação facial, por acometimento da paralisia facial periférica para que se possa ter um embasamento maior sobre a eficácia da técnica através de pesquisas com uma amostragem maior.

RECOMENDAÇÕE

Trata-se de um artigo que oferece subsídios para estudos acadêmicos e para Fisioterapeutas, onde aborda as técnicas de facilitação neuromuscular proprioceptiva (FNP), método kabat que surgiu em 1946 e consiste em uma técnica de terapia manual que estimula os receptores neurais com o objetivo de aumentar a amplitude de movimento e estabilidade corporal, direcionamento e a coordenação de movimentos ativos.




José de Oliveira Rodrigues, acadêmico do 6º Período do Curso de Fisioterapia da Faculdade Estácio de Alagoas.
JOSÉ RODRIGUES
Enviado por JOSÉ RODRIGUES em 16/11/2019


Comentários